Notícias > Notícias do dia

Imagem

Mesmo com sucesso na vacinação, Chile coloca 70% da população em quarentena

A pandemia no Chile atravessa um dos piores momentos, razão pela qual 7 em cada 10 chilenos estarão em quarentena a partir desta quinta-feira. Nunca em toda a crise sanitária foi atingido tal nível de confinamento no país sul-americano, pois os números não são animadores. A ocupação de leitos em UTIs chega a 95% na rede pública e privada em nível nacional, que funcionam de forma integrada em resposta à crise sanitária. Desde que há pouco mais de um ano foi registrada a primeira infecção, nunca as UTIs estiveram tão cheias (71% desses pacientes estão internados por coronavírus). Com a chegada de março e o início do ano letivo de 2021, depois das férias de verão, estão sendo feitos mais testes do que nunca (76.335 foram realizados no domingo), mas com uma porcentagem de positivos que não se via há meses: 11,7%, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde.

Entrarão em quarentena 13,7 milhões de pessoas, dos cerca de 19 milhões que vivem no Chile, de acordo com o último censo. Quase toda Santiago será afetada pela medida, exceto oito municípios ao norte da cidade e um ao sul. Entre os que iniciam o confinamento estão os populares Maipú e Puente Alto. Mas as restrições tornaram-se mais duras para todos, devido ao uso excessivo de autorizações especiais para sair de casa. Os habitantes dos municípios que estão na segunda fase do plano Paso a Paso do Governo, com quarentena apenas nos fins de semana, não poderão pedir autorização para sair neste sábado, domingo ou nos feriados da Semana Santa. Tampouco os confinados, que assim poderão comprar alimentos apenas de segunda a sexta-feira, com autorizações especiais.

O Governo de Sebastián Piñera teve de anunciar um novo pacote de ajuda para que as pessoas fiquem em casa e a mobilidade possa realmente ser reduzida. Em um discurso televisionado na noite de segunda-feira, o presidente informou sobre um pacote de medidas que beneficiaria 15 milhões de pessoas, incluindo a extensão da Renda Familiar Emergencial (IFE na sigla em espanhol) e um bônus para a classe média de até 690 dólares (cerca de 3.878 reais). O plano do Executivo deve ser implementado justamente quando o Congresso estuda um terceiro saque de 10% da poupança previdenciária, o que ameaça esvaziar o sistema das Administradoras de Fundos de Pensão (AFP).

O Chile atravessa um dos piores momentos da pandemia pouco antes que comecem a ser observados os efeitos da bem-sucedida vacinação em massa, a partir de meados de abril, segundo o ministro da Saúde, Enrique Paris. Mais de 5.940.000 pessoas já foram vacinadas, das quais 3.105.000 já receberam as duas doses. Além disso, teve início nesta quarta-feira a vacinação de pessoas saudáveis de até 59 anos que não faziam parte dos grupos prioritários. A meta do Chile é vacinar 15 milhões de seus habitantes até o fim do primeiro semestre. Atualmente, dos pacientes que estão na UTI por covid-19 há uma semana, 676 têm entre 60 e 69 anos, mas 610 têm entre 50 e 59 anos, um dos grupos mais afetados por esta nova onda.

“Se compararmos com junho de 2020, a situação hospitalar é pior, enquanto o número de novos casos é 25% menor se forem considerados apenas os casos sintomáticos, e o número de mortes, por enquanto, é 60% menor”, apontou um relatório divulgado na sexta-feira pelo centro de estudos Espacio Público, que monitora diariamente a pandemia. “Acreditamos que os pacientes internados em UTIs e os óbitos continuarão aumentando nas próximas semanas e torna-se urgente comunicar com a maior clareza possível a situação crítica que estamos vivendo, com todas as incertezas que representam tanto a transmissão da doença quanto os possíveis resultados do processo de vacinação”.

Os números desfavoráveis da pandemia colocam em sério perigo a realização das eleições múltiplas de 10 e 11 de abril, nas quais serão eleitos os 155 convencionais que redigirão a nova Constituição, prefeitos, vereadores e governadores. As autoridades devem tomar uma decisão nas próximas horas. “A maioria das pessoas que foram consultadas do ponto de vista da esfera política prefere manter as datas atuais das eleições, mas nada está escrito na pedra”, disse o ministro Paris.

Fonte: El Pais

Categorias:

Comente esta notícia